Sexta feira santa: PAIXÃO DO SENHOR.

0

Sexta feira santa: PAIXÃO DO SENHOR.

Sexta feira santa: PAIXÃO DO SENHOR | Foto: Guga

Sexta feira santa: PAIXÃO DO SENHOR | Foto: Guga

A) O mistério que celebramos

Nesta celebração, contemplamos e adoramos o Cristo crucificado, elevamos nossa oração por todas as pessoas, especialmente pelos que sofrem, prolongando hoje o mistério da morte na cruz do Senhor. Comungando de seu corpo, recebemos força para viver da esperança que nasce da cruz. Do lado aberto do Senhor, brota para nós a vida divina. É a Páscoa da Cruz.

Particularmente neste dia, somos convidados a um pedido de perdão acompanhado de jejum pelos pecados que nós, membros da Igreja, cometemos contra as pessoas mais simples e desassistidas e todos os martirizados da história de nosso país.

B) Sugestões/roteiro da Celebração

a)      O ambiente despojado e simples e o clima de profundo silêncio devem expressar a dor e o luto da comunidade pela morte do Senhor. O altar deve estar sem toalhas, sem flores e sem castiçais. A cor das vestes será vermelha, sinal do martírio. Pode-se colocar no ambiente fotos ou cartazes dos mártires da América Latina, destacando-se os índios, os negros, as mulheres e os trabalhadores que, com Jesus, entregaram a vida pela VIDA.

b)      A Celebração está organizada em quatro momentos: Liturgia da Palavra, Oração Universal, Adoração do Cristo na Cruz e Comunhão.

c) Para iniciar a Celebração, o Presidente e demais ministros entram em silêncio. O Animador motiva a comunidade a ficar de joelhos e em profundo silêncio. Os ministros se prostram ao chão, em sinal de reverência e humilde identificação com Cristo que “esvaziou-se e humilhou-se até à morte e morte de cruz”. Após alguns minutos de silêncio, um refrão meditativo como: “Deus santo, Deus forte, Deus imortal” ou “Vidas pela vida”, pode acompanhar este momento.

d) Depois todos se levantam para a Oração do dia (Coleta).

1-      Segue-se a Liturgia da Palavra:

e) A Primeira leitura deve ser proclamada seguindo seu estilo poético.

f) O Salmo responsorial “Eu me entrego, Senhor, em tuas mãos” pode ser cantado com a melodia do HL 2, p. 28, do CD Cantando os Salmos – Anos A,B ou C, conforme o caso, ou outra apropriada.

g) Igualmente, a aclamação ao evangelho deve ser cantada como se encontra no HL2, p. 189 ou outra semelhante.

h) A proclamação da Paixão deve ser feita por vários leitores. Pode, também ser proclamada em trechos, intercalados por um refrão, cantado pelo povo, no estilo das estações da Via-Sacra.

2-      A Oração Universal é o grande momento de solidariedade com todo o povo de Deus. Como Cristo, “no fim de sua vida terrena, fez orações e súplicas a Deus” (Hb 5,7) a comunidade reza pelas grandes necessidades da Igreja e da humanidade. Convém manter a estrutura da Oração: alguém apresenta a intenção da oração, faz-se um momento de silêncio (podendo, depois, haver um refrão cantado por todos como: “Ouve-nos, amado Senhor Jesus”) concluindo com a Oração do Presidente.

3-      O terceiro momento é a Adoração do Cristo na Cruz.

i)        Um ministro, acompanhado por outros dois conduzindo velas ou tochas, conduz a cruz coberta por um pano roxo ou vermelho. Saindo do fundo da Igreja dirige-se ao presbitério e durante o percurso, ergue por três vezes a cruz cantando: “Eis o lenho da cruz…”, a que todos respondem: “Vinde, adoremos!” e a cada vez vai descobrindo parte da cruz. Chegando diante do altar coloca a cruz sobre um pedestal e, começando pelo Presidente, todos os fiéis se aproximam para beijar a cruz.

j)        Durante o rito da adoração do Cristo na cruz, se pode cantar “Povo meu, que te fiz eu”, “Vitória, tu reinarás”, “Bendita e louvada seja” ou outros cânticos apropriados.

k)      Seria oportuno fazer diante da cruz do Senhor, um momento profundo de confissão e pedido de perdão por todas as vezes que, em nossas comunidades e famílias, não tratamos as pessoas com deficiência com o carinho  e amor que merecem.

l)        A Via-Sacra, geralmente feita nas ruas, nesse dia, poderia ganhar também essa conotação de pedido de perdão. Cada comunidade encontre o momento e a maneira de melhor fazê-la

4- Segue-se o Rito da Comunhão

m)    Alguns ministros cobrem o altar com uma toalha e aí coloca o pão eucarístico trazido da capela lateral. O presidente convida para a Oração do Pai nosso, seguindo-se o convite “Felizes os convidados…”

n)      Terminada a comunhão, e depois da Oração sobre o Povo, todos se retiram em silêncio. Tal como ocorreu na entrada, não há canto final.

Imagens da Paixão do Senhor.

Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Sexta-feira Santa - Paixão do Senhor | Fotos: Guga
Compartilhar via:

Sobre o Autor

Tenho 24 anos, moro em Bragança e atualmente trabalho na diocese de Bragança - PA como Editor do Site

Ou se preferir comente aqui...